sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Quinta das Bágeiras Garrafeira branco 2004


Olho para este vinho e suspiro: sede e ânsia de o beber novamente, lamento por ter terminado, murmúrios e sussurros que tive com ele, indícios de o desejar mais uma vez... os "suspiros são meias vozes da alma", como dizia Lope de Vega!
São estes os sinónimos que encontro para Quinta das Bágeiras Garrafeira branco 2004.

No copo apresentou uma cor amarelo palha, com aromas a sobressaírem frutos secos e citrinos maduros, na boca é encorpado, untuoso, "algumas gotas de acidez" e um final longo.

Um vinho para olhar, manejar, conversar...beber sem pressas e suspirar.

Ricardo Soares

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Porta dos Cavaleiros tinto 1986


Se Hermann Melville tivesse bebido este vinho diria: "Saber envelhecer é a obra-prima da sabedoria e um dos capítulos mais difíceis na grande arte de viver.".


32 anos volvidos este vinho apresentou-se "de boa saúde", de cor acastanhada e aromas limpos, macios, elegantes e suaves, mantendo uma certa finura e boa estrutura na boca.
Muito prazeroso e com vontade de repetir. Já ouço as outras a chamar por mim na garrafeira...

Ricardo Soares

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Espumante Abibes Baga Rosé 2016

Faltam-me sempre palavras para definir um Abibes. E com este Espumante Abibes Baga Rosé 2016 não é caso para menos!

O que dizer...já o disse anteriormente, a respeito de Abibes, por vezes há um caminho que vai directamente do coração aos olhos sem passar pelo raciocínio. Transmite imediatamente um rol de sensações e emoções.

Tenho pena que os Abibes não sejam meus familiares (identifico-me tanto com ele(s)). Mas pego numa "premissa" de Cícero - actualmente tenho Cícero na mesinha de cabeceira - "Um bom amigo é mais digno do que cem familiares"...e rapidamente me conforto por sentir esta amizade.

E este espumante apresenta um "olhar" cristalino, cor rosada clara, bolhas finas e elegantes. No palato subsistem aromas frutados, a frutos vermelhos, tudo numa leveza apetecível e num conjunto bastante requintado e harmonioso. Predomina uma prova fresca, crocante e um final refinado e primoroso.

Primoroso como a nossa amizade...

Ricardo Soares

PS.: a prova de como este espumante é irresistível:


Casa do Barroso alvarinho reserva 2017


Como definir um vinho nunca editado no mercado e engarrafado há apenas 2 semanas? Ainda para mais a imitar um "gajo" que parece que cá anda há dezenas de anos...

Lembro-me das palavras de Cícero: "Assim como gosto do jovem que tem dentro de si algo do velho, gosto do velho que tem dentro de si algo do jovem..."

Talvez seja esta a melhor definição que aplico a este novo vinho que irá ser lançado brevemente para o mercado. É um vinho jovem  que mostra experiência dentro de si, e a adultez que conserva dentro de si é (ainda) uma novidade.

Na minha opinião é um vinho muito bem executado, por mãos experientes, com uma capacidade invejável de longevidade,  nesta fase ainda bastante fechado mas nada incomodativo, pode-se beber atualmente com prazer mas convém guardar algumas garrafas para evoluir, aromas cítricos, acidez marcante e final longo.

Temos vinho! E bastante mercado para ele...

Ricardo Soares

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Quinta dos Abibes



Quinta dos Abibes...mais do que o vinho transcende o longo sentimento de paixão. Talvez muitos de vós não entendam uma linha do que escrevo. Não vos maço mais...

Finalizo apenas assim: "Um homem viaja pelo mundo à procura do que precisa, e volta para casa para encontrá-lo.
George Moore"

O resto fica apenas entre nós, há momentos da vida que serão só nossos (ELE sabe do que falo).

Ricardo Soares e Sofia

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Casa de Paços Superior 2013


O que as crianças têm de melhor é serem capazes de admirar sem compreender.
Há vinhos que me chegam à mesa, bebo e...admiro sem compreender.

É o caso deste vinho, exige o consumo mínimo de força intelectual, estabelece-se um convívio mútuo, satisfação total ao primeiro gole, com prazer exacerbado, longo e sem grandes demoras.

Apesar de ser de 2013 considero-o ainda um vinho, não direi jovem, mas um adolescente adulto, com boa frescura, suave, elegante, redondo, cheio de sugestões cítricas e tropicais e uma leve mineralidade.

Tudo sem grande esforço de memória. Deleitar apenas.

Ricardo Soares

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

1000 Curvas 2014 Chardonnay & Alvarinho


Em Maio de 2016, engarrafou-se a colheita de 2014, a primeira colheita deste estreante vinho, 1000 Curvas 2014 Chardonnay & Alvarinho que estagiou durante cerca de 20 meses em borras totais com fermentação selvagem.

Se eu fosse treinador e tivesse de avaliar um jovem jogador no seu primeiro jogo na 1ª Liga diria o seguinte:

"Este jovem estreante mostrou que tem espaço neste mercado e no meio de tantas estrelas pode este ano ganhar a titularidade e prémios. Nesta prova em especial fez uma exibição muito boa, mostrou que tem um potencial inegável e mostrou que é capaz de brilhar ao longo de toda a prova.
Apesar de ainda ser muito novo e um estreante nesta liga mostrou que tem uma maturidade acima da sua idade e da média, tem capacidades para crescer e desejo que fique muitos anos junto de nós.
Esta estreia é sinal do seu potencial, com uma progressão imensa e uma evolução significativa e nós estaremos cá para o acompanhar."

Ricardo Soares