quarta-feira, 1 de março de 2017

Cockburn's Lacrima Christi Porto Branco



Este Porto deu-me um prazer bastante especial: foi-me oferecido há uns anos por alguém que não abre a mão de nada e que certamente me ofereceu porque pensou que a mesma estaria estragada. Por um tipo que não me grama. Palavra de honra. Nem eu a ele. Mas era a época natalícia...

A caminho de casa pensei atirá-la ao lixo mas preferi mostrar à minha esposa tamanha oferta: "oh não botes fora, guarda a garrafa, quanto mais não seja como decoração...".

Pouco ou nada sabia deste Porto da Cockburn's, nomeadamente o ano e em que condições esteve até aos dias de hoje. Consultei alguns especialistas que arriscaram a década de 60 ou 70, quase todos afirmaram que já não estaria grande coisa, fiz várias pesquisas e tentei entrar em contacto com a Cockburn's de diversas formas e sempre sem sucesso.
A garrafa andou para aqui aos tombos de um lado para o outro, em condições adversas, ao sol e ao calor, até ao dia que me fartei dela e decidi botar ao lixo. Mas não sem antes a abrir para ver o que saía dali e...voilá!

Ainda hesitei provar mas ao despejar o vinho no copo eis que me surge uma atraente tonalidade alourada, quase acobreada, semelhante à dos vinhos tintos velhos (já o disse, uma das cores que mais adoro). No nariz alguns aromas florais e toques de mel e moscatel. Teve um longo e concentrado final de boca e muito doce.

Durou apenas 2 dias... que maravilha.
É caso para dizer: gente ruim não morre.
Apeteceu-me dizer-lhe na cara: "TOMA CARA#$%"

Ricardo Soares

Sem comentários:

Enviar um comentário