sábado, 15 de abril de 2017

Porta dos Cavaleiros tinto colheita 1980


Temos 2 pontos em comum: nascemos no mesmo ano e temos o mesmo gosto. 37 anos e ambos adoramos o Dão.
Este vinho, Porta dos Cavaleiros tinto colheita 1980, dispensa quaisquer palavras e apresentações.
Depois de aberta a garrafa e de sentir os aromas bastante fechados e algum cheiro a mofo, próprio dos seus 37 anos em garrafa, optei por decantar. Cerca de 1 hora depois percebi que o vinho começou a mostrar as suas potencialidades, a revelar os aromas e a mostrar saúde. O tempo passava e a evolução sempre em crescendo. Um vinho ao meu estilo: para se ir bebendo, apreciando lentamente. E assim o fui bebendo: das 14h as 17h30. Foi um bom reencontro, éramos dois amigos da mesma idade que não se viam há bastante tempo. Este Porta dos Cavaleiros contou-me variadíssimas histórias, nunca era a mesma, todas diferentes e todas elas carregadas de experiências e emoções. Como eu o compreendi: embora sempre diferente era a mesma "pessoa" que estava ali à minha frente...
Mas adiante... confissões entre dois companheiros e que não são merecedoras de serem aqui reveladas.
Eu, Ricardo Soares, continuo o mesmo, talvez um pouco mais gordo e com alguns cabelos brancos. E este meu velho amigo apresentou uma cor acastanhada e aromas limpos, suaves, macios e elegantes. Na boca manteve-se fino e com boa estrutura. Estava o mesmo, talvez um pouco mais velho, mas ainda um jovem...

Ricardo Soares

Sem comentários:

Enviar um comentário