domingo, 27 de agosto de 2017

Adega Viúva Gomes Colares branco 2010


Há coisas que não são para se dizer. Esta é uma delas. Entre marido e mulher não se mete a colher. Acerca deste vinho tenho várias coisas para dizer e não sei como hei-de dizê-las. Pode ser, por isso, incompreensível. Desculpem, a culpa é minha. A minha relação com este vinho pode ser, digamos, de amor. À primeira vista. Ano após ano a nossa relação aumenta. Talvez seja um amor sem razão. Mas uno: um amor com uma cor só nossa, aromas que absorvem com fervura e uma boca com uma envolvência e profundidade que só nós sentimos. Uma paixão que apetece consumir e guardar. Por muitos anos, para sempre. Mas tem de ser amor senão não há conexão. Não tem de ser lindo nem impossível. Apenas verdadeiro.
Deixem-me ficar com esta superioridade. Deixem-nos a sós.

Ricardo Soares

Sem comentários:

Enviar um comentário