domingo, 5 de novembro de 2017

Pequenos Rebentos Loureiro 2016


Nunca tive dúvidas: a simplicidade envolve uma complexidade tremenda. Nunca vos aconteceu tentar fazer alguma coisa simples e não conseguirem ter os resultados desejados? Sim, para mim a simplicidade é mais complicada do que se possa imaginar.

É precisamente nisto que penso quando rodopio um copo do Márcio Lopes: na complexa simplicidade. Não acho que haja contradição na complexidade/simplicidade, o que acho é que há uma grande tendência para ser durável. Li algures uma frase de Steve Jobs: "O simples pode ser mais difícil que o complexo: tens que trabalhar no duro para chegares a um pensamento limpo que possas tornar simples. Mas no final vale a pena, porque uma vez que lá chegues, podes mover montanhas."
O Márcio tem sido, ao longo destes anos, consistente nos seus vinhos, têm padrões elevadíssimos, atingiram um patamar de referência junto dos consumidores e com grande capacidade para atingir degraus cimeiros.

Adorei este Pequenos Rebentos Loureiro 2016. Um vinho "simples", fresco e vibrante, mostrando aromas varietais típicos, notas florais, alguns citrinos alaranjados e lima, com uma acidez algo leve a marcar presença, todo o conjunto bastante aromático, delicado e leve. Convida a uma mariscada.

Como lhe costumo dizer: - tu a mim nunca me enganaste!

Ricardo Soares

Sem comentários:

Enviar um comentário