terça-feira, 7 de novembro de 2017

Sem Reservas


Tenho deixado de escrever no blog com regularidade por vários motivos. Talvez o meu maior problema foi preocupar-me demasiado com coisas sem importância. Como me disse um dia um bom amigo "A influência de outros só nos prostitui" finalizando com um conselho que outrora lhe fora dado "Não me chateia quem quer, só me chateia quem eu quero".

Uma das minhas maiores premissas neste blog é não me prender com nada nem com ninguém, sem reservas. Para já, felizmente, muito felizmente, vou tendo algum dinheiro para gastar. Não o tendo acabam-se os vícios... tão simples quanto isso.

Não vou discutir o modo de agir de cada um, quem aceita, sem discutir, algo que não crê ou não goste. Não discuto palmadinhas, botas limpas, engraxadores ou vira casacas. Cada um sabe de si. Não, não vou discutir passividades, comportamentos, tendências, conformismos, aceitações, sem se opor a situações que não concordam. Também não pretendo dar consultas online de psicologia para a resolução desta patologia, quem quiser poderá entrar em contacto comigo que eu próprio tratarei de encaminhar para um profissional responsável pelos teoremas da psicologia humana.

Contudo a minha palavra vale o que vale e está longe de ser uma verdade absoluta. Talvez para muitos de vós sejam palermices. Assim seja...
O acto de escrever está patente na minha vida e, como tal,  irei escrever sempre e continuarei a impregnar a meu bel prazer as "minhas" teorias subjetivas, sentimentos e sonhos. Sobre vinhos e sobre o que me apetecer. Para mim e para quem me quiser ler.

Como disse um dia Tchekhov: "Não tenhas medo de parecer palerma; antes de tudo é preciso ter o espírito livre; só quem não teme escrever palermices tem o espírito livre."

(em curso novo texto sobre um vinho...)

Ricardo Soares

Sem comentários:

Enviar um comentário