quinta-feira, 3 de maio de 2018

Casa de Saima vinhas velhas branco 2016


Uma das escritoras que li, e ainda tenho como referência, é Saima Harmaja. Finlandesa e conhecida pela sua vida trágica e morte precoce (23 anos) que se refletiram nos seus poemas carregados de sensibilidade.

Mas o que têm em comum Saima Harmaja e este vinho Casa de Saima branco vinhas velhas 2016, para além do nome Saima!?
Digamos que um dos excertos que mais gosto desta escritora reflete precisamente o que senti quando bebi este vinho Casa de Saima branco: "Que tremendo regozijo quando você lutou com o poema e ganhou! Que êxtase quando você pôde segurá-lo na sua mão, removê-lo de si mesmo, enviá-lo para o espaço, um novo mundo pulsante que é agora."

Ou por outras palavras (as minhas), é um belíssimo vinho que segurei nas minhas mãos, um branco fresco e encorpado, mineral, onde a fruta branca e cítrica está presente e um leve "espaço" a mar...elegante...portanto, um Bairrada pulsante de agora!

Ricardo Soares

Sem comentários:

Enviar um comentário