quinta-feira, 17 de maio de 2018

Restaurante Elvira

Desgarfar: morfar; manjar; dissipar; comer; mastigar e engolir; refeição


Hoje escolhi para desgarfar o restaurante Elvira, um dos meus restaurantes de eleição, longe do rebuliço e onde o refúgio me é reconfortante.
O Minho sempre foi um dos pulmões da minha infância. As raízes familiares, as paisagens rurais minhotas e as gentes fizeram com que eu sentisse necessidade de respirar o seu oxigénio. Ironia do destino, hoje vivo nesta região. E a típica gastronomia sempre foi o meu "prato do dia": as mãos minhotas dos meus pais, das minhas avós e tias - conservando a tipicidade e genuidade, tradição, cultura e identidade - marcaram e continuam a marcar os meus manjares.

No restaurante Elvira, em Braga, cabe tudo isso: a cozinha tradicional, executada com produtos de excelente qualidade, envolvida pela paisagem rural e pelo rio Cávado que nos remete para o conforto familiar. Cabem também os jardins, as árvores, os frutos, as flores, os animais que por ali vagueiam, as pedras e penedos que suam no interior e no exterior, o fumo nas chaminés...e o silêncio...



Na sua maioria a ementa convida à presença familiar, amizade ou grupos e assenta em menus para 2 pax.

As entradas são um regalo: rissóis e bolinhos de bacalhau que primam pela intensidade da matéria prima e suave textura, uma salada de bacalhau bem temperada e uns folhados de camarão divinal. E uma broa como há muito eu não via num restaurante.

Nos pratos principais a oferta assenta na tipicidade, variedade e excelência dos produtos e sua execução. Apetece dizer: venha o diabo e escolha.
Nas carnes o taco do lombo de boi cativa os olhares presentes; costeleta de vitela na brasa cortada na perfeição, tenra e rosada; os bifes de porco preto que ainda hoje não me saem da cabeça;  que poderão ser acompanhados com arroz de feijão, arroz de grelos ou batata a murro; aos domingos o famoso "cabritinho" assado.
No lado dos peixes o "único" arroz de tamboril com gambas; filetes de pescada fresca; arroz de robalo com gambas; filetes de polvo; bacalhau à Elvira; e cabeça de pescada
(iguaria muito esquecida, infelizmente).

As sobremesas há várias propostas mas como estamos em Braga experimentem o Pudim Abade Priscos.


A carta de vinhos está criteriosamente seleccionada na medida em que podemos percorrer as várias regiões vitivinícolas de Portugal e com excelentes ofertas para todos os gostos (e carteiras). E como estamos a cerca de 2 km sugiro que bebam um Royal Palmeira Loureiro...



Restaurante Elvira: Rua da Marginal Adaufe, 4700-690 Braga

Ricardo Soares

Sem comentários:

Enviar um comentário